Início Softwares Microsoft lista processadores compatíveis com o Windows 11

Microsoft lista processadores compatíveis com o Windows 11

Ao contrário do Windows anterior, que só acrescentou plataformas compatíveis, a Microsoft decidiu remover algumas plataformas da lista

Na última quinta-feira (24), a Microsoft revelou o Windows 11. Com requisitos de sistema diferentes da versão anterior, a CPU, por exemplo, deve ser de 64 bits para rodar o sistema. RAM e armazenamento também foram alterados, aumentando a recomendação mínima para 4 GB e 64 GB, respectivamente. Mas as mudanças também atingiram a lista de processadores compatíveis.

Com o lançamento do Windows 10, a Microsoft apenas adicionou novos processadores aos compatíveis com o sistema. Com a chegada da nova versão, algumas CPUs foram retiradas da parte de compatibilidade.

Apesar de ter sido revelada pela empresa, a lista pode passar por alterações nos próximos meses, conforma a Microsoft realiza testes no sistema.

No caso dos processadores Intel, o Windows 11 retirou o suporte para componentes de sexta e sétima geração. Com essa decisão, o Surface Studio 2, criação da própria Microsoft, fica de fora da lista de compatibilidade.

Os usuários da AMD contam com ainda menos dispositivos capazes de rodar o sistema. A lista de CPUs compatíveis com o Windows 11 elimina a série A e a série FX, junto com o Ryzen 1000 e a maioria dos chips Ryzen 2000.

Por fim, os donos de computadores com CPUs da ARM, há apenas uma alteração na compatibilidade, com a eliminação do Snapdragon 835.

Processadores compatíveis com o Windows 11

Aplicativos Android no Windows 11

Uma das maiores revelações do anúncio do novo Windows foi o suporte a aplicativos do Android nativamente no sistema. Isso foi possível graças a uma parceria da Microsoft com a Intel que implementou um novo compilador ao sistema – chamado “Intel Bridge”.

Por conta de ter sido criado em parceria com a Intel, muitos usuários do sistema ficaram em dúvida se a novidade também estaria disponível para quem utiliza processadores AMD e ARM.

Felizmente, em um comunicado enviado ao site The Verge, a Intel confirma que “acredita que é importante fornecer essa capacidade em todas as plataformas x86 e projetou a tecnologia Intel Bridge para suportar todas as plataformas x86 (incluindo plataformas AMD)”.

Ainda segundo a Intel, o Bridge é um pós-compilador de execução que “traduz” aplicativos que são compilados para plataformas não x86 (neste caso, apps Android) em instruções x86.

Os aplicativos Android para Windows 11 serão oferecidos por meio de uma nova parceria da Microsoft com a App Store da Amazon. Após baixados, os softwares serão executados de forma semelhante a qualquer outro programa aberto em uma janela. Ainda será possível fixá-los na barra de tarefas e colocá-los ao lado de outros apps.

27 COMENTÁRIOS

  1. Eu tenho o processador Ryzen 3 3300X e o mesmo não se encontra nesta lista, puxa, tem o R3 2300X, o R3 3100 e o meu não tem.

    A ferramenta de verificação de integridade do PC não aprova o meu setup… eu pensava que fosse problema quanto ao TPM 2.0, mas quanto ao TMP 2.0 está tudo certinho.

    Espero que a Microsoft atualize a ferramenta.

      • Pré histórico você deu uma forçada… máquinas que poucos meses atrás ainda estavam vendendo ou ainda estão a venda, no caso processador da sétima geração da Intel e os Ryzen, maior sacanagem da Microsoft, que está querendo lucrar com a venda de licenças em novas máquinas e ajudar as fabricantes de hardware…

  2. A Microsoft está fazendo uma aposta alta…e que quase 100% de certeza ela vai dar um tiro no pé. Ela quer colocar novas especificações para ajudar as fabricantes de hardware a vender mais produtos compatíveis nos próximos meses. Não sei a %, mas imagino que 70% dos computadores não serão compatíveis, ainda mais que ultimamente, trocar uma placa Wi-Fi, upgrade de RAM e um SSD, transforma qualquer computador de 10 anos atrás em máquinas muito mais velozes. Vai ser um Vista 2, todo mundo ficando no Windows 10.

    • Melhor comentário até agora. Tenho um notebook que original era um i3 segunda geração com 2 gb de ram e 500 GB HD. Troquei os 2 de ram por 8 e o HD de 500 por um SSD de 480. Não tenho motivo para trocar meu notebook tão cedo. Ainda mais com os preços extorsivos de hoje.

      • Isso mesmo, tenho um notebook da Lenovo, consegui remover a whitelist da BIOS, e agora pega qualquer placa Wi-Fi, já coloquei uma nova da 6 geração, subi pra 16 GB de RAM e um SSD, tá voando com um i5 da 4 geração, pra que vou trocar todo esse investimento só por que não tenho TPM 2.0? Microsoft pisou na bola feio…eles que não mudem a estratégia…

  3. Tenho um AMD FX 8300 e 16 gb 1600 mhz Roda tudo. Até Battlefield V e Red Dead Redemption e FS2020 no ultra. Pra mim ainda tá bom. Agora a Microsoft vem dizer que vou ter que trocar de hardware. Vai se fud…Bil Gates.

  4. Meu Asus VivoBook X510UR tem o processador Intel(R) Core(TM) i7-7500U CPU @ 2.70GHz 2.90 GHz. Equipamento de 2019, e esse processador não está na lista dos aprovados. A Microsoft está maluca?

  5. Mais uma vez a Microsoft prejudica seus usuários visando o seu lucro. Quem desejar se manter atualizado em tecnologia terá que adquirir um computador com TPM, porque quem tem o Windows 10, mas não tem esse chip na sua máquina não poderá atualizar de graça. Esse é o verdadeiro motivo da “falácia de segurança.

  6. Imaginem o Windows 11.1: não estará disponível para América Latinha, Índia e África, mesmo se você tiver acabado de adquirir um equipamento de última geração na Europa ou Estados Unidos!

  7. Meu processador não se encontra na lista, (I72600k), e não tem o TPM. Mas consegui instalar e roda a build de testes. Não entendi essas especificações. Acredito que isso vale apenas para atualização do W10. Mas para uma instalação limpa, como no caso da versão de avaliação, não seja um problema.

    • O problema, é que não há garantias de atualizações para quem está usando a compilação de teste, então pode ser que tenha que retornar pro 10. Muitas máquinas são capazes de rodar o sistema, máquinas de 10 anos atrás ou mais…e eles sabem disso, só querem ajudar as fabricantes a vender e forçar a trocarmos de hardware com esse pretexto de “segurança”.

  8. É por essas e outras da Microsoft que eu tenho aumentado o meu interesse por Linux e Open Source em geral. A maioria desses sistemas operacionais livres faz uso dos recursos do chip TPM 2.0 mas também é compatível com computadores sem o chip.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES