Início Segurança iPhone pode ser hackeado sem clique do usuário, diz relatório

iPhone pode ser hackeado sem clique do usuário, diz relatório

Estudo da Anistia Internacional diz que iPhone pode ser invadido mesmo sem o usuário clicar em qualquer link

A Apple sempre bateu na tecla de que o iPhone prioriza a segurança e privacidade dos seus usuários. Agora, em um estudo publicado nesta segunda-feira (19), a Anistia Internacional afirma que os iPhones podem, sim, ser hackeados mesmo que a vítima não clique em qualquer link malicioso.

O relatório surge dias depois da bombástica revelação de que vários jornalistas, ativistas e políticos de 50 países tiveram seus smartphones invadidos por um malware de espionagem, o Pegasus. Ao infectar um dispositivo, a ferramenta é capaz de abrir a câmera e o microfone do celular, além de acessar dados contidos no aparelho.

Criado pela empresa israelense de cibersegurança NSO Group, o Pegasus é praticamente um “espião de bolso” capaz de atacar tanto dispositivos Android quanto iPhones (iOS). Segundo a empresa que o desenvolveu, o programa é vendido somente para agências governamentais e usado somente para perseguir terroristas e grandes criminosos.

iPhone pode ser hackeado sem intervenção do usuário, diz relatório
Apple ainda não se pronunciou sobre o ataque com o software de espionagem Pegasus – Imagem: Onur Binay / Unsplash

E, ainda que a Apple não dê o braço a torcer sobre a segurança de seus dispositivos, a Anistia Internacional afirma que os atacantes conseguiram comprometer completamente a segurança dos iPhones de formas “ainda desconhecidas” para a empresa de Cupertino.

Normalmente, o que os cibercrimonosos fazem para invadir um telefone é induzir o usuário a clicar em algum link malicioso que abra a possibilidade se infiltrar no aparelho. Claro, ainda que esta seja a forma mais comum de ataque, os hackers já desenvolveram também outras táticas atualmente – às quais os telefones da Apple seriam vulneráveis.

No mesmo relatório, a Anistia Internacional descobriu que a atualização para a versão mais recente do iOS não é suficiente para impedir a invasão. O estudo revelou que o ataque do Pegasus foi bem sucedido inclusive no iPhone 12, que roda o iOS 14.6.

iPhone pode ser hackeado sem intervenção do usuário, diz relatório
Apple liberou atualização para o iOS 14.7 após o relatório – Imagem: Denis Cherkanshin / Unsplash

O estudo foi publicado no mesmo dia que a Apple lançou a atualização 14.7 do iOS, mas a empresa não detalha nenhuma nota de segurança sobre a nova versão e também ainda se pronunciou sobre a análise da Anistia Internacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES