Início Tecnologia Crise dos chips vai afetar fornecimento de processadores da Intel

Crise dos chips vai afetar fornecimento de processadores da Intel

Segundo diretor financeiro da Intel, escassez de componentes será crítica até setembro deste ano; cenário deve melhorar no último trimestre

Afetada pela crise global de chips que impacta a indústria do mundo todo, a gigante Intel já se prepara para enfrentar problemas de distribuição. Isso porque a empresa admite que o fornecimento de seus processadores será escasso, principalmente nos próximos três meses.

“Esperamos que a escassez de oferta [dos processadores] continue por vários trimestres, mas parece ser particularmente aguda para os clientes no terceiro trimestre”, afirmou George Davis, CFO da Intel.

A declaração é divulgada meses após o CEO da empresa, Pat Gelsinger, estimar que a escassez global de chips possa afetar a indústria por mais “um ou dois anos”, estendendo-se até 2023.

Ainda de acordo com Davis, a falta de componentes e substratos deverá reduzir as receitas de Client Computing Group (CCG) da Intel. No entanto, chips para serviços de data center e nuvem podem fazer com que empresas e o governo apresentem maior recuperação até setembro deste ano.

Prioridades da Intel

Como apontado pelo portal Tom’s Hardware, o ponto central do problema baseia-se na falta de substratos (camada de base dos chips) de ABF. A Intel chegou a adotar processos para finalizar substratos de ABF internamente e anunciou investimentos em fabricantes desses componentes para mitigar o impasse, mas as ações não devem ser suficientes para evitar o período de escassez.

Por conta disso, a big tech deverá priorizar a fabricação de processadores mais potentes, principalmente aqueles utilizados em data centers — que não só geram maiores receitas como também figuram em grande parte dos contratos aos quais a gigante está vinculada.

Ilustração de chip de processador
Intel deverá intensificar apoio à fabricação de componentes para enfrentar crise dos chips. Reprodução: ColiN00B/Pixabay

Já para os últimos três meses, a perspectiva deverá ser um pouco melhor. A Intel pretende adotar ações para intensificar a produção de componentes necessários para seus produtos.

“No quarto trimestre, faremos tudo o que for possível para ajudar nossos fornecedores de substrato a aumentar o fornecimento, incluindo terminar parte de sua fabricação em nossas próprias instalações, algo que poderíamos fazer como um IDM — sigla em inglês para fabricante de dispositivo integrado”, completou o executivo.

Vai atrasar?

Não bastasse o balde de água fria sobre uma possível recuperação da crise dos chips, a previsão pessimista pode significar novos impasses para futuros lançamentos.

Vale lembrar que a Intel tem se preparado para lançar as CPUs Alder Lake (de 12ª geração). Sem contar os vazamentos em torno dos chips, amostras dos processadores já estão sendo vendidas na China, o que dão indícios de um lançamento ainda neste ano.

Mas isso, é claro, vai depender de como estará o cenário de componentes e do desempenho da Intel após este “período crítico”. Ao que tudo indica, os componentes parecem ser bastante promissores, mas sem medidas para intensificar as produções, os consumidores poderão enfrentar atrasos e escassez de distribuição do novo produto.

Fonte: TechRadar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES