Início Dicas e Reviews Como escolher as peças para montar seu PC?

Como escolher as peças para montar seu PC?

Você está preparado para montar o seu PC no Black Friday, mas não sabe como começar? Então acompanhe nosso passo a passo!

Montar um PC é algo divertido, e é mais simples do que muitos imaginam. Nós aqui do KaBuM! adoramos o mundo do hardware e sempre estamos procurando as melhores formas de montar aquela máquina incrível. Pensando nisso, por que não espalhar esse sentimento e ensinar vocês a montarem as suas?

Aqui, vamos dar dicas e ensinar como escolher as peças certas para seu computador da forma mais simples possível. É claro que se aprofundar é sempre bom, então use ele para começar e, caso ame esse mundo como nós do KaBuM!, pesquise mais, assista tutoriais e estude essa área! Garantimos que ela é até mais simples do que muitos pensam. Preparados? Então vamos começar!

Por onde começar a montar seu PC?

A primeira pergunta que devemos fazer é: para quê vamos usar nosso PC? Afinal, um PC gamer será diferente de um PC para o trabalho. Ele vai ser usado também para streams? Você vai modelar em 3D? Usar o Photoshop? Vai só olhar as redes sociais e vídeos? Todas essas variáveis podem exigir peças diferentes, e é importante saber seu uso para poder otimizar o custo x benefício do seu computador e não acabar com menos poder do que o necessário, ou um PC muito forte para usar só uma porcentagem dele.

Após responder essa pergunta, agora sim podemos partir para as peças. Você pode começar por várias, mas para deixar mais fácil a escolha de outras, geralmente começamos com…

O processador

Processador

Já explicamos em um artigo aqui no blog para quê serve os processadores do computador, e logo explicaremos o porquê começar com ele. E como escolhemos um processador? Existem duas fabricantes principais dos produtos: a AMD e a Intel.

As diferenças de ambas são físicas, mas em performance podemos traçar um paralelo entre elas, então, vai muito da preferência de quem está comprando – as marcas vão entregar um ótimo produto. Já quando vemos as configurações de um processador, devemos nos atentar a quatro pontos principais: o modelo, o número de núcleos (ou cores), de threads e de clock.

Confira a importância de cada um deles:

• Modelo: além de AMD ou Intel, vamos ter os modelos. Esses são, por exemplo, AM4 para AMD ou LGA 1151 para a Intel. Nesse caso, os modelos mais atuais sempre possuem diversas vantagens quando comparados às versões anteriores, por serem mais otimizados, estarem mais compatíveis com outras peças atuais, com jogos e programas do momento, entre outros detalhes. Caso tenha dúvida, pesquise quais seriam os modelos mais atuais para o uso que você quer, ou os modelos mais populares entre quem compra. Ele será mais importante no nosso próximo passo.

• Núcleos: também conhecidos como cores, é a quantidade de microprocessadores que temos dentro desse processador grande, em um resumo. Basicamente, quanto mais cores, mais rápido esse processador será. É sempre necessário ter o maior número de cores possível? Não. Cores e Threads, que falaremos a seguir, ajudam bastante em múltiplas tarefas ao mesmo tempo. Quer um exemplo? Jogar e fazer streams ao mesmo tempo exige rodar o jogo, o APP de stream, o chat, sua WebCam… logo, um processador com mais núcleos poderá lhe ajudar bastante. Se vai apenas jogar, é o jogo e as tarefas do Windows, então você vai se sair bem com uma quantidade menor de núcleos.

• Threads: é o número de instruções que são resolvidas ao mesmo tempo. Entendam como faixas em uma autoestrada: quanto mais faixas, mais carros podem passar ao mesmo tempo e mais fluido é o trânsito. Assim como os núcleos, quanto maior esse número, melhor seu processador é em fazer mais coisas ao mesmo tempo e entregar o que precisa rapidamente.

• Clock: essa é a velocidade geral do processador. Quanto maior esse valor, mais rápido o processador será em entregar e comandar o que citamos antes. E quando vemos termos como Max Boost, significa o máximo que esse processador vai alcançar em jogos e demais aplicações pesadas.

Para um melhor custo x benefício, tente equilibrar todos esses valores em seu orçamento para o processador. Dentro do dinheiro que você separou, comece pelos núcleos. Seu uso vai exigir muitos? Se a resposta é não, pegue um processador com menos núcleos, mas um clock mais alto. Mais núcleos são necessários? Pegue um com mais núcleos e threads, mesmo que isso signifique um clock menor. Achar esse equilíbrio vai exigir muita pesquisa, mas garanto que você vai sair com um bom uso de seu dinheiro dessa empreitada. Ah, e lembre-se de pesquisar se o seu processador precisa de um cooler melhor, ou até mesmo um watercooler, para poder comprá-lo.

A Placa-mãe

Placa mãe

Agora, vamos explicar o porquê começar com o processador: lembra que ele tem modelos? AM4, LGA 1151… então, é assim que podemos começar a nossa pesquisa para saber se eles são compatíveis com a placa-mãe. Escolhendo o seu processador, se ele for AMD, por exemplo, podemos excluir todas as placas Intel da pesquisa. Se ele for AM4, também eliminamos as AM3+, AM1 ou afins. No site do KaBuM! podemos filtrar rapidamente as placas selecionando o socket (que chamei de modelo para ficar mais fácil) na parte esquerda da página.

Exemplo
Exemplo da página lateral com os modelos (sockets).

Digamos que escolhemos um processador Intel 1151 então, e agora estamos olhando essa lista de placas. O que vamos querer? Bom, em primeiro lugar, saiba que quanto mais entradas essa placa tiver, mais tecnologias para games, mais saídas, mais cara ela será – porém, com a melhor performance.

O mundo das placas-mãe é muito extenso, mas vamos resumir o que você mais deve se atentar: a quantidade de slots PCI, de Slots de memória, as entradas USB, entradas M.2 e as saídas de áudio.

• Slots PCI: onde colocamos nossas placas de vídeo. Existem vários modelos, mas eles são retrocompatíveis, então você pode colocar qualquer placa de vídeo PCI neles e eles vão aceitar. A quantidade é importante para seu planejamento? Você pretende um dia ter mais de uma placa de vídeo? Então ter mais de um slot é crucial.

• Slots de memória: eles podem ser DDR3 ou DDR4 (principal modelo atual), e isso vai influenciar depois. Quanto à quantidade, assim como no caso das placas, é importante caso você queira mais memórias depois.

• Entradas USB: elas possuem tipos também. Se você vai ligar algo que seja USB 3.0, ele só vai apresentar toda a sua potência em entradas 3.0 na placa-mãe. E, claro, quanto mais entradas, mais dispositivos você pode ligar ao mesmo tempo.

• Entradas M.2: essa entrada serve para os SSDs M.2, vamos explicar depois o que são eles. Se pretende ter um, sua placa deve ter uma entrada dessas compatível. Os SSDs normais são ligados nas entradas SATA, e todas essas placas-mãe de hoje em dia possuem.

• Saídas de áudio: algumas placas têm conectores de áudio mais completos e com mais opções. Se você vai ligar apenas uma caixa ou headset simples, com cabo P2, qualquer placa oferece entradas para eles.

A faixa de preço de placas-mãe varia muito, então é necessário, novamente, verificar quais são as opções dentro do seu orçamento. Dentro disso, você pode escolher uma placa que tenha as entradas e saídas que você precisa, sem exageros, e ainda ter uma placa robusta em mãos para seu computador. As placas também têm tamanhos diferentes, isso será importante depois, mas esse tamanho é medido em ATX. Uma placa ATX é de um tamanho, enquanto as Mini ATX (mATX) são menores, por exemplo. Guarde essa informação.

Agora, um ponto importante! Filtramos por placas do modelo que queríamos, porém, nem sempre isso indica que todos os processadores são compatíveis e pronto. Quando escolher sua placa-mãe, entre no site do fabricante dela e pesquise o modelo. Com isso, procure na página a lista de processadores compatíveis e veja se o seu está lá. Caso não esteja, você pode escolher outra placa-mãe e pesquisar a compatibilidade. Para ajudar, separe várias candidatas e pesquise em todas elas, podendo passar facilmente para a próxima da lista.

As memórias RAM

memória

Quanto às memórias RAM, temos uma tarefa mais simples nas mãos. Elas são grandes responsáveis pela velocidade geral do seu computador, e o Windows 10 precisa de, no mínimo, 8GB para funcionar de forma satisfatória. Se o seu PC for gamer, essa quantidade tem que ser maior. Além da quantidade de gigas da memória, lembre-se de olhar a velocidade com que ela trabalha, medida em Mhz (como, por exemplo, 3000MHz).

Quanto maiores são esses números, mais rápida a memória será, assim como o seu PC. Vale lembrar que, caso você queira uma performance melhor, duas memórias iguais trabalhando juntas sempre vai ser o ideal. Isso é chamado de Dual Channel. Para que o Dual Channel funcione, porém, essas memórias devem ser iguais, colocadas em dois slots diferentes em sua placa-mãe. Não compre memórias diferentes ou elas não vão trabalhar juntas, sempre trabalhe com pares iguais.

E, para escolher a memória compatível, é bem fácil. A sua placa-mãe vai especificar a entrada DDR que ela tem (DDR3, DDR4). Sua memória terá que ser uma dessas; se a placa for DDR4, por exemplo, compre memórias DDR4. Agora, sobre a frequência, cheque no site do fabricante de sua placa-mãe escolhida para verificar se ela é compatível para essa frequência. Sendo do modelo certo e na frequência suportada, ela vai funcionar.

A Placa de Vídeo

placa de vídeo

A estrela de todo PC gamer precisa de um cuidado especial! Não em questão de compatibilidade, já que ela roda em qualquer placa-mãe que tenha uma entrada PCI-E (o que significa basicamente todas). A sua escolha vai depender de outras questões.

Primeiramente, vamos falar sobre o conceito de “gargalo”. Essa gíria do mundo do hardware tem uma explicação bem simples: as peças de seu PC precisam estar em sinergia, pois uma peça muito mais fraca pode atrapalhar, não permitindo que o computador trabalhe com tudo o que tem, já uma muito acima do desempenho médio do seu setup, pode ser um desperdício, já que não utilizará toda a performance do componente, como um gargalo de uma garrafa mesmo!

Sendo assim, olhe principalmente para seu processador. Partindo dele, podemos julgar, ou até mesmo pesquisar online, se ele não é fraco demais ou forte demais para a sua placa dos sonhos. Se ele estiver nesses extremos para a placa que você deseja, tente refazer o processo, mas com outro processador.

Já na hora de escolher a placa, isso varia muito do seu uso. Você quer um PC com Ray Tracing, capaz de rodar em 4K e 60 FPS? Bem, aí você vai precisar das melhores placas de vídeo do mercado. Precisa de uma performance mais de entrada, oferecendo um custo x benefício bom? Um 1080p sem Ray Tracing está bom? Então temos diversas opções de placas mais acessíveis que podem suprir suas necessidades. Uma forma fácil é pegar aquele seu jogo dos sonhos e ver quais são as configurações que ele pede! Através delas, você vai descobrir a placa de vídeo que vai rodá-lo do jeito que você quer.

Outro ponto interessante: se você não quer jogar, modelar, ou nada muito complexo em seu PC, você pode pular completamente a etapa da placa de vídeo. É só comprar um processador que possua vídeo integrado. Isso significa que ele tem uma mini placa de vídeo dentro dele. Óbviamente, ela será bem limitada em comparação às placas de vídeo dedicadas, mas para trabalhar ou ver vídeos elas são ótimas, até mesmo para jogos mais antigos, por que não?

Os SSDs ou HDs

SSD e HD

Para armazenar tudo o que você precisa, o trabalho é mais fácil. Começando pelos HDs, não existe muito segredo: eles não possuem incompatibilidades e, quanto maiores, mais arquivos eles podem armazenar.

Já o mundo dos SSDs envolve um pouco mais de pesquisa. SSDs SATA não têm incompatibilidades e os tamanhos são os mais variáveis possíveis, focados em velocidade. Quando ver a página de um SSD, cheque a parte que mostra a velocidade de leitura e gravação. Quanto maiores forem esses números, mais rápido o seu produto será!

E existem outros modelos de SSDs, como os M.2. Esses precisam de uma entrada específica compatível em sua placa-mãe, então certifique-se de escolher uma que tenha, caso queira usar um. Eles geralmente são muito mais rápidos que os SSDs normais.

E também temos os SSDs PCI Express, que podem ser ligados em um slot de placa de vídeo. Só certifique-se de ter uma entrada dessa sobrando em sua placa-mãe para poder colocar um desses, ou não poderá usá-lo.

O gabinete

Gabinete

O gabinete de seu PC é mais uma peça simples de se escolher. O que você precisa se atentar são dois pontos: tamanho e a quantidade de coolers que ele terá. O tamanho é calculado vendo a sua placa-mãe e a sua placa de vídeo. Lembra que a placa-mãe mostra a informação ATX, Mini ATX e afins? Isso indica o seu tamanho, e pode lhe dar uma ideia de qual gabinete comprar. Algumas placas de vídeo também são bem grandes, então veja nas informações do gabinete qual o tamanho máximo de placa que ele pode suportar.

Quanto aos coolers, veja se sua placa-mãe possui entradas o bastante, ou você terá que recorrer a adaptadores, como os que ligam os coolers à fonte de seu PC. Com isso, você evita surpresas de ter pensado em vários coolers mas não ter onde ligá-los quando seu PC chegar. Sobre o fluxo de ar e cable management, isso faz parte da montagem, e não vamos entrar muito nesse mundo aqui, até porque esses detalhes mudam de acordo com o gabinete escolhido.

A fonte

Fonte

Para a fonte, é sempre bom se atentar à qualidade dela e aos selos que ela possui. A fonte é uma peça importantíssima do computador, pois ela vai ter que suportar e gerenciar a energia de todas as outras peças incríveis que você escolheu anteriormente. Uma fonte de baixa qualidade pode facilmente queimar o seu computador, portanto, nunca negligencie ela em suas compras.

Quanto à capacidade, isso vai variar muito do PC que você escolheu. A placa de vídeo é o componente que mais exige da fonte, e geralmente mostra a fonte recomendável, assim fica mais fácil escolher. Se ainda sobrar dúvidas, existem muitas ferramentas online que calculam, através de suas peças, a fonte que você precisaria. E sobre o selos, compre sempre fontes certificadas e com o selo 80 Plus, que indica que elas passaram por várias verificações de segurança e é garantido o seu funcionamento. Quanto melhor esse selo, como 80 Plus Gold por exemplo, mais precisa será a sua entrega.

O teclado

teclado

Para o teclado, a questão de uso entra muito em vigor também. Para um uso casual ou de trabalho, existem vários modelos bem baratos, alguns até mesmo sem fio, que podem suprir essa necessidade. Pessoas que trabalham ou querem mais conforto podem focar em teclas de atalho, ou até mesmo programáveis, para ajudar a realizar o que precisam de forma mais rápida.

Enquanto qualquer teclado funciona para o trabalho, se você quer uma performance mais focada em jogos com um ótimo tempo de resposta, precisa investir em um teclado mecânico de mais qualidade. Ele tem um acionamento das teclas muito mais rápido e preciso, e você pode pesquisar os vários tipos de switch para descobrir o que mais se encaixa no seu estilo: alguns são bem leves, outros possuem acionamento mais duro, entre outras questões.

E se você gosta de RGB, existem os mais variados teclados com as mais variados formatos. Alguns mudam de tom, possuem efeitos diferentes, e com certeza você pode achar um que vai te agradar e combinar com as cores dos coolers de seu gabinete.

O mouse

Mouse

Assim como o teclado, mouses possuem muita variedade e vão desde os simples para uso casual ou de trabalho, até modelos com DPI bem alto (o que indica mais precisão e velocidade) e RGB. Além disso temos modelos sem fio, gamers ou não.

Para escolher o seu mouse, recomendamos pesquisar o que você vai usar. Alguns botões de atalho a mais podem ajudar em seu trabalho ou jogo. O jogador de MMO pode aproveitar os mouses com diversos botões extras em sua lateral. Já um jogador de FPS vai preferir uma taxa de DPI melhor. E se você for um fã de E-sports, pode verificar qual é o mouse que o seu pro-player favorito utiliza, ou quais configurações ele usa.

Assim como o teclado, existem as mais diversas opções de RGB em mouses para que você possa escolher o que mais se encaixa no seu gosto.

O headset (ou headphone)

headset

Vamos começar tirando uma dúvida: headphones não têm microfone, só o fone. Headsets, por sua vez, têm microfone, nem que seja um pequeno e escondido. Temos headsets com dois tipos de entrada: P2 e USB. Ambos vão funcionar muito bem – embora os headsets com mais tecnologia costumam ser USB.

Quanto ao modelo, além de verificar o seu uso, você deve pesquisar qual vai ter um encaixe melhor e mais confortável na sua orelha, para evitar dores com o uso prolongado. Headsets possuem, também, várias tecnologias, como áudio 7.1, que lhe dá uma noção de som espacial muito melhor, podendo julgar com precisão de onde vem o som e a que distância ele está.

Se você aprecia músicas, existem headsets e headphones próprios, com graves fortes, agudos limpos e outras vantagens. O mundo dos headsets é bem vasto, então se prepare para pesquisar bastante até achar o ideal para você!

O monitor

Monitor

Para fecharmos a nossa compra de PC, chegou a hora de escolher a tela perfeita para mostrar tudo o que você precisa. Os monitores também possuem várias tecnologias e formatos para todos os gostos, como controle de luz azul para deixar a imagem mais suave, perfeita para quem vai passar horas lendo em frente à tela, por exemplo.

Para games, dependendo do tipo de jogo, você pode querer uma taxa de hertz maior. Basicamente, isso significa que seu monitor vai poder mostrar mais frames ao mesmo tempo. Em uma tela de 60 hertz, você pode rodar o jogo a 300 FPS, porém a sua tela vai mostrar apenas 60, por exemplo. Além disso, temos o tempo de resposta, medido em milissegundos. Quanto menor esse valor, menos delay haverá entre seu input e a ação na tela.

Outro ponto é o tamanho da tela, que pode ser calculado pela distância em que você vai ficar de seu PC. Se for ficar muito perto, uma tela menor vai servir. A resolução também é importante: monitores 1080p vão mostrar apenas essa resolução, mesmo que seu jogo esteja em 4K. A dica é verificar em que resolução sua placa de vídeo trabalha melhor, e escolher um monitor com ela. Se não ligar para resolução, e sim para o FPS, pode escolher uma tela com uma resolução menor, mas uma taxa de hertz maior. Tudo isso varia com a forma com que você pretende usar seu computador.

Dicas finais

As últimas partes foram mais simples, já que nenhuma delas mantinha o risco de incompatibilidade, então vamos para nossas dicas e considerações finais:

• Sempre foque no seu uso e no que se encaixa em seu orçamento.

• Por mais que pareça complicado, vale a pena pesquisar, pois o custo x benefício compensa.

• Apesar da montagem de computadores ser uma tarefa simples, não recomendamos que o faça por conta sem experiência na área. Na dúvida, chame um técnico de sua confiança.

• Após tudo escolhido, cheque novamente por incompatibilidades ou detalhes que você pode ter deixado faltar.

• Em qualquer parte do processo, fóruns na internet, técnicos, vídeos e diversas outras ferramentas são seus amigos e vão ajudar a tirar suas dúvidas.

E aí, gostou das nossas dicas para montar seu PC? Quer acrescentar mais alguma? Deixe nos comentários para ajudar a futuros leitores e boas compras!

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES