Início Tecnologia Tecnologia do Facebook converte sinais nervosos em comandos digitais

Tecnologia do Facebook converte sinais nervosos em comandos digitais

Facebook apresentou pulseira com sensores capaz de identificar os sinais nervosos do usuário e transformá-los em ações - no mundo real ou virtual

Há quem duvide do verdadeiro potencial dos óculos de realidade aumentada; há também quem acredite que um dia eles irão substituir o nosso smartphone. Será? Bom, o que a gente sabe é que empresas como Apple e Facebook – entre tantas outras – já estão bastante adiantadas em seus projetos.

A equipe de Mark Zuckerberg apresentou no ano passado o Project Aria, o projeto que vai nortear o Facebook na criação de um óculos de realidade aumentada. Aliás, foram eles mesmos que disseram que o dispositivo poderia assumir muitas das funções hoje usadas nos celulares, como ligar para alguém ou até navegar pela cidade.

A novidade agora é uma tecnologia para os óculos de realidade aumentada: sensores acoplados ao pulso para permitir que o usuário controle dispositivos usando os mesmos sinais nervosos que a gente usa para mover as mãos. Realmente, parece incrível!

Facebook Reality Labs

Pesquisadores do Reality Labs, do Facebook, explicaram que a ideia é usar uma técnica conhecida como eletromiografia ou EMG, capaz de detectar os sinais nervosos que viajam pelo pulso. Assim, sensores acoplados ao pulso poderiam interpretar esses sinais e traduzi-los em “comandos digitais” que podem então ser usados ​​para controlar um dispositivo ou uma interface virtual.

Acredite, é mais complexo do que parece. Mas o Facebook garante que não tem nada a ver com leitura da mente.

“Pense assim: você tira muitas fotos e opta por compartilhar apenas algumas. Da mesma forma, você tem muitos pensamentos e escolhe agir de acordo com apenas alguns deles. Quando isso acontece, seu cérebro envia sinais para suas mãos e dedos dizendo-lhes para se moverem de maneiras específicas para realizar ações como digitar ou deslizar. Trata-se de decodificar esses sinais no pulso – as ações que você já decidiu realizar – e traduzi-los em comandos digitais para o seu dispositivo”, diz o texto publicado no blog do Facebook.

Facebook
Imagem: Facebook

Segundo os pesquisadores envolvidos no projeto, a técnica EMG é tão precisa que pode “entender o movimento do dedo de apenas um milímetro”. Essa precisão poderia tornar a navegação nas interfaces de realidade aumentada uma experiência muito mais rápida e fluida.

Ainda vai demorar…

O projeto ainda está em desenvolvimento e em estágio muito inicial. Qualquer solução final para o consumidor ainda está a alguns anos de distância. Mas o Facebook adiantou algumas aplicações interessantes, como a interação chamada “clique inteligente”, que permite aos usuários “clicar” em um menu movendo sutilmente os dedos.

“O sistema será capaz de fazer inferências profundas sobre o que você pode querer fazer em várias situações, com base nas informações que você decidir compartilhar sobre você e seu entorno”, diz Sean Keller, diretor de pesquisa do Facebook Reality Labs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES