Início For Gamers Riot fecha servidor alternativo de League of Legends criado por fãs

Riot fecha servidor alternativo de League of Legends criado por fãs

Criadores do servidor ainda disseram que a Riot tentou "extorqui-los"

Durante um período que se estendeu por quase cinco anos, um grupo de fãs de League of Legends (LoL) trabalhou em um servidor paralelo, chamado Chronoshift, em que os jogadores poderiam viajar de volta à versão de uma década atrás do game. No entanto, a Riot Games acabou com essa possibilidade, já que fechou completamente o servidor.

Em nota ao site PC Gamer, a empresa revelou que enviou um pedido aos desenvolvedores do servidor para que toda e qualquer atividade fosse encerrada.

Esse movimento ocorreu após um dos criadores do servidor postar no fórum Reddit uma série de conversas que teve com um funcionário da Riot. Na postagem, um trabalhador da empresa chamado Zed afirmou que a equipe jurídica da companhia “não está muito entusiasmada com o seu projeto e está procurando uma maneira de chegar a um acordo e um fim aceitável para isso”.

Após a conversa evoluir, Zed foi para a intimidação, exigindo que o desenvolvedor entregasse o site e o código-fonte do Chronoshift para a Riot. Ele então deixou claro o que a empresa pretendia: “Dê-me o que estou pedindo e não vamos processar. Recuse e nós o faremos”.

Ainda no fórum, os desenvolvedores do servidor afirmam que a Riot tentou “extorqui-los”. Eles ainda falaram que sempre trabalharam com empenho para manter o projeto no ar. “Nunca pedimos nenhuma doação, pagamos todas as despesas do nosso bolso”.

Explicações da Riot sobre o caso

Riot LoL
Foto: Divulgação/Riot

À PC Gamer, além de revelar o pedido para que o servidor fosse tirado do ar, a Riot afirma que está “decepcionada com o teor da conversa”, mas que está “solicitando formalmente” que os desenvolvedores “parem de desenvolver o projeto”.

Ao se explicar sobre a conduta do funcionário, a empresa disse que esse pedido para que o código-fonte fosse entregue é uma “exigência padrão feita a todos os desenvolvedores envolvidos em atividades não autorizadas” e que tem como objetivo “ajudar a equipe de segurança da Riot a entender a natureza precisa do projeto, a maneira que infringe a propriedade da empresa e até que ponto o código foi compartilhado online”.

Os desenvolvedores do Chronoshift cumpriram as exigências legais da Riot e desligaram o servidor permanentemente. No entanto, toda a situação não deixou uma boa impressão para os envolvidos.

“Este projeto sempre foi sobre a preservação das primeiras temporadas do jogo que não podem mais ser acessadas, uma cápsula do tempo para algo que já se foi e que as pessoas ainda expressam muito interesse até hoje”, escreveram os desenvolvedores em um site agora em branco, já que o game não é mais acessível.

“Estamos extremamente desapontados com a forma como a Riot escolheu lidar com a situação”, finalizam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES