Início Tecnologia Mãe e filho são acusados de operar esquema de pirâmide envolvendo criptomoedas

Mãe e filho são acusados de operar esquema de pirâmide envolvendo criptomoedas

A dupla alegava que, quem investisse nas criptomoedas, teriam um retorno fixo mensal de 20% a 30%

Uma mulher de 86 anos e seu filho de 54, ambos de Las Vegas, foram acusados de fazer parte de um esquema de Ponzi – popularmente conhecido como esquema de pirâmide – envolvendo a negociação de títulos e a mineração de criptomoedas.

Ambos se apresentavam para seus clientes sob o nome Profit Connect Wealth Services e prometiam retornos fixos que variavam de 20% a 30% se pessoas investissem em supercomputadores e inteligência artificial que conseguiam “prever” quais criptomoedas iam valorizar.

Estima-se que Joy Kovar e seu filho Brent faturaram US$ 12 milhões vindos de pelo menos 277 investidores desde maio de 2018. Eles encorajavam as pessoas a investir seu dinheiro aplicado em fundos educacionais e de aposentadoria.

O retorno prometido era bastante atraente e convenceu muitas pessoas a investir em títulos tradicionais e criptomoedas.

De acordo com a denúncia feita, a dupla não investiu nenhum do dinheiro arrecadado. Em vez disso, apenas financiou um estilho de vida luxuoso, incluindo a compra de casas, carros e pagamento de contas de cartão de crédito.

Foto: Karolina Grabowska/Pexels

Do total arrecadado, US$ 3 milhões foram comissionados para promotores que trouxeram investidores e parte do dinheiro foi usado para pagar pessoas que apostaram no esquema – tudo para não levantar suspeitas.

“Os investidores devem ser cautelosos com indivíduos e empresas que garantem retornos de dois dígitos sem risco de perda”, disse Michele Wen Layne, diretora do escritório regional da Securities and Exchange Commission’s, que protege investidores e denuncia fraudes.

Esquema antes das criptomoedas

A dupla já havia se envolvido em um esquema semelhante em 2009. Na ocasião, Brent Kovar e um de seus irmãos enfrentaram uma ação relacionada à empresa Sky Way Global.

A companhia foi acusada de levantar milhões de dólares de investidores ao alegar que desenvolveram uma tecnologia antiterrorismo que permitia ao governo monitorar ou assumir o controle de um avião. Joy Kovar atuou como secretária da empresa, mas não foi acusada na época.

Via: Techspot

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES