Início For Gamers Games da oitava geração que você pode ter deixado passar

Games da oitava geração que você pode ter deixado passar

Com o fim de mais uma geração de consoles, vários jogos podem ter ficado para trás na enxurrada de lançamentos. Que tal descobrir algumas pérolas escondidas?

Com o começo de uma nova geração de consoles, é natural que os novos consoles e seus jogos ganhem os holofotes, graças às suas tecnologias impressionantes aliadas a gráficos incríveis. Porém, isso acaba gerando um efeito colateral: acabamos esquecendo de alguns jogos da geração anterior que podem ser experiências incríveis e que ainda podem ser aproveitadas antes de trocarmos de vez nossos consoles.

Para lhe ajudar, decidimos montar uma pequena lista com várias dicas de jogos que você pode ter deixado passar na geração passada. A lista não segue uma ordem fixa, ou seja, não estamos organizando do pior para o melhor ou algo do tipo, são apenas recomendações de jogos incríveis para você se interessar e jogar. Vamos lá?

Oxenfree

Oxenfree
Fonte: Night School Studio

A qualidade dos jogos indies cresceu muito durante esta geração que se passou, e muitos deles apresentam experiências incríveis e, às vezes, até superiores do que muitos jogos de alto orçamento por aí. Porém, infelizmente eles acabam tendo uma menor visibilidade, seja pelo seu estilo gráfico mais simples, pela falta de investimento pesado em divulgação e diversos outros fatores.

E esse é o caso do incrível Oxenfree, um jogo que mistura aventura, drama e até mesmo terror para contar uma história emocionante, com um estilo bem único e um sistema de diálogo diferente. Suas escolhas importam bastante por aqui e finais felizes são difíceis de se conseguir. Uma experiência que vale a pena.

What Remains Of Edith Finch

What Remains Of Edith Finch
Fonte: Giant Sparrow

À primeira vista, esse é um jogo que pode parecer simples e sem muitos atrativos. Não se deixe enganar, porém: What Remains Of Edith Finch é um jogo belo, criativo, e que quer contar uma história misteriosa e emocionante de uma forma que só um game conseguiria fazer.

No jogo, você controla Edith, e deve explorar a gigantesca propriedade dos Finch, onde a cada lugar visitado você vai descobrir histórias sobre os membros da família e tentar desvendar a origem da provável maldição que levou você a ser a única pessoa da família que sobreviveu. Contar mais que isso seria spoiler, então, se você não aproveitou esse game e ficou curioso, pode jogar sem medo.

inFAMOUS First Light

inFAMOUS First Light
Fonte: Sucker Punch Productions

inFAMOUS Second Son foi um dos jogos de lançamento do PS4, que mostrava muito bem os efeitos de luz e partículas que o console conseguia reproduzir, e fez bastante sucesso. O que entra na nossa lista não é esse terceiro jogo da série, porém, e sim a sua DLC standalone (ou seja, que pode ser jogada sem precisar do jogo original).

Ao exemplo do mais recente Miles Morales, essa versão apresenta uma personagem nova, chamada Abigal “Fetcher” Walker. Cheio de ação, ainda mais poderes de Neon muito bonitos e uma história que cumpre bem seu papel, inFAMOUS First Light é uma boa pedida caso você esteja procurando jogos para se despedir de seu PS4.

Minecraft Dungeons

Minecraft Dungeons
Fonte: Microsoft

Claro, Minecraft é um sucesso estrondoso há anos, e sem sinais de que toda essa fama vai diminuir. Porém, isso não significa que os jogos derivados dessa marca vão ser um sucesso instantâneo, e Minecraft Dungeons é um jogo que, infelizmente, ganhou menos atenção do que deveria do público.

Trazendo um gameplay à la Diablo, mas com sua própria identidade, muitos easter eggs e variações de gameplay, Dungeons não é apenas um bom jogo do estilo, como também é muito divertido. Ele com certeza vai agradar tanto a fãs de Diablo quanto fãs de Minecraft sem esforço, então, se você ainda não jogou, dê uma chance!

Wasteland 3

Wasteland 3
Fonte: inXile Entertainment

Houve uma era em que os RPGs isométricos dominaram os PCs de antigamente. Todos eles tinham várias características em comum, das quais um fã reconhecia de longe, e esse estilo ficou tão forte que até hoje ganhamos novos representantes, lançados para várias plataformas.

Wasteland 3 é um desses exemplos: um jogo à moda antiga, mas que se moderniza no que é necessário para não ser frustrante. Sua liberdade para o lado “Role Play” é bem alta, sua história é interessante e sua dificuldade pode ser cruel até você pegar o jeito. Se você ama o gênero ou apenas quer entender o porquê esse estilo de jogo atravessa gerações, jogue Wasteland 3.

Grounded

Grounded
Fonte: Obsidian Entertainment

É bem claro que o sucesso da Obsidian Entertainment vem de seus RPGs, como The Outer Worlds e Fallout New Vegas, e talvez por isso muitas pessoas não se sentiram inclinadas a dar uma chance a Grounded, um jogo online de sobrevivência, cheio de carisma e com uma premissa bem diferente.

Você joga com crianças que foram reduzidas a tamanhos de insetos, e deve explorar um jardim imenso, sozinho ou em multiplayer, para sobreviver aos perigos diversos, como poças de água, aranhas de jardim e outros desafios criativos. O visual é muito bonito e surpreende, e as armas são todas adaptadas ao seu tamanho diminuto. Um bom jogo para se divertir com os amigos, caso ainda não tenha dado uma chance.

Dragon Quest Builders (1 e 2)

Dragon Quest Builders (1 e 2)
Fonte: Square Enix

Se você é fã de RPGs, certamente conhece a lendária franquia Dragon Quest, que nasceu no Nintendinho lá em 1986 e perdura até hoje. E você também conhece Minecraft, e pode dizer muitos motivos do porquê você acha que essas duas franquias não combinam. Porém, Dragon Quest Builders é bem mais do que apenas uma fusão das duas.

Nele, você constrói coisas como em Minecraft, mas os objetivos são diferentes. Você constrói vilas para ajudar aldeões em suas necessidades e, de quebra, vai desvendando mistérios de sua história digna de RPGs. A mistura deu muito certo e o produto final é viciante e cativante.

Gravity Rush Remastered

Gravity Rush Remastered
Fonte: Sony

É uma pena que Gravity Rush não recebeu a atenção que deveria, mesmo em sua segunda chance. O jogo foi originalmente lançado para o PS Vita, um ótimo console portátil da Sony que, infelizmente, era muito caro e isso acabou afastando grande parte do público. Mas a empresa não desistiu da franquia e lançou uma versão remasterizada para o PS4, mas ainda assim o game não ganhou a atenção que deveria.

Aqui controlamos Kat, uma garota que controla a gravidade. Essa premissa por si só já é muito interessante, mas o mundo aberto do jogo ajuda ainda mais, com você podendo se movimentar livremente entre o cenário, enfrentando diversos inimigos. No começo pode parecer estranho, mas em poucos minutos você está acostumado e vai sair por aí voando, andando em tetos e paredes e descobrindo formas cada vez mais estilosas de derrotar os inimigos.

Ori And The Will Of The Wisps

Ori And The Will Of The Wisps
Fonte: Microsoft

Tanto Ori and the Blind Forest quanto sua sequência são jogos que merecem mais atenção, pois são alguns dos melhores platformers da geração. Além da sua jogabilidade extremamente precisa e responsiva, Ori é acompanhado por uma trilha sonora maravilhosa; seu visual é como ver uma obra de arte em movimento e sua história pode arrancar lágrimas facilmente, por ser emocionante.

Quem ainda não deu uma chance pode pensar que o parágrafo acima está exagerando, mas quem já jogou, certamente está não só concordando, mas também com vontade de jogar novamente. Uma palavra que pode definir Ori é: apaixonante. Dê uma chance!

Night In The Woods

Night In The Woods
Fonte: Infinite Fall

Jogos são divertidos, podem nos dar várias sensações incríveis e arrancar boas risadas, começar amizades, causar medo, e tudo isso de forma muito forte, pois eles são uma mídia interativa. Você controla o que faz e o que vê, então essa será sempre uma diferença que games possuem quando comparados a outras formas de mídia, como o cinema ou livros.

Alguns jogos usam essa interatividade para tratar de assuntos sérios de forma incrível. Night in the Woods é um jogo indie muito bonito e diferente em seu estilo visual, mas que trata, com muita propriedade, de problemas sérios, como depressão, saúde mental e problemas da vida adulta. Falar mais seria spoiler, já que o foco do game é a história, mas se você quer entender mais sobre esses assuntos e se emocionar, dê uma chance a esse jogo.

The Evil Within (1 e 2)

The Evil Within (1 e 2)
Fonte: Tango Gameworks

Shinji Mikami é uma lenda da indústria de jogos, e seu trabalho mais conhecido certamente é Resident Evil. Sendo assim, um certo hype se criou quando ele anunciou que estava voltando ao gênero de terror com uma empresa nova, e o game que veio desse projeto é The Evil Within.

Embora sua história seja confusa e suas mecânicas diferentes, o jogo é muito bom e consegue assustar. Além de tudo, ele arranca risadas em alguns momentos, com a personalidade canastrona de Sebastian, o protagonista, que parece vir diretamente de um filme Noir de baixo orçamento. Uma mistura interessante que merece mais reconhecimento.

E aí, gostou da nossa lista? Tem mais sugestões de que da geração anterior que merecem ser descobertos? Conta pra gente nos comentários!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES

O primeiro PS5 do KaBuM! pode ser seu

Confira as últimas novidades do console e participe da promoção “Esse PS5 é Meu” para ganhar o primeiro exemplar do produto no KaBuM!

Vem aí o PlayStation 5

Com lançamento previsto para o final de 2020, as expectativas dos gamers para a chegada do novo console da Sony são grandes. Confira!

Como montar a configuração ideal para seu PC gamer?

Montar um PC gamer não é tarefa fácil. Muitos detalhes, conexões e compatibilidades entre os componentes podem trazer "dor de cabeça", sem considerar os elevados custos que...

Por dentro do Black Friday do KaBuM!

Por dentro do Black Friday do KaBuM!. Participante em 12 edições da maior promoção anual da internet, o e-commerce se prepara para surpreender novamente milhões de visitantes, em busca dos melhores descontos. Enquanto a data tão esperada não chega, vamos relembrar como foi o evento em 2019.